Grife Anália Franco se espalha e valoriza bairros próximos

Início » Blog » Grife Anália Franco se espalha e valoriza bairros próximos

Terrenos escassos no miolo da zona nobre leva construtoras a erguerem empreendimentos luxuosos nas redondezas.

Considerado a joia da zona leste, o Jardim Anália Franco, onde o preço do metro quadrado é comparável ao de outros bairros nobres, como Vila Olímpia e Itaim – cerca de R$ 14 mil -, deve vivenciar uma onda de valorização, mas dessa vez no seu entorno. Isso porque não há mais espaço no miolo do bairro. “A região do Jardim Anália Franco não é muito grande. As pessoas se concentraram no coração do bairro, e os terrenos foram ficando cada vez mais escassos”, afirma Rafael Fiorotto, coordenador de Produtos da Trisul.

A incorporadora lançou, em maio de 2012, seu primeiro empreendimento na região: o Space Anália Franco, na rua Mossamedes. O prédio tem apartamento de quatro dormitórios e área de 117m².

Além da limitação física, Fiorotto enxerga influência do novo Plano Diretor na elevação dos preços. “É uma região que não é prevista a construção de torres altas, e esse é o perfil procurado pelo comprador. Vai ficar difícil viabilizar negócios de alto padrão”, afirma. Com isso, diz, o entorno do bairro “tira vantagem de sua localização”. “Como é muito difícil de ter lançamento no miolo, as regiões próximas imediatamente se valorizam”.

Isso já aconteceu em outras áreas da cidade, segundo Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP. “Os Jardins, por exemplo, já ultrapassam a avenida Rebouças. É normal que isso aconteça com o Jardim Anália Franco, que hoje está entre os cinco primeiros locais onde as pessoas gostariam de morar na capital”, explica.

Um dos motivos para o interesse pela região é a oferta, farta e sofisticada, de comércio e serviços, incluindo escolas, hospitais, restaurantes e, claro, o shopping que leva o nome do bairro.

“A região preserva características de um típico bairro residencial e atrai cada vez mais paulistanos que buscam qualidade de vida e conforto” diz André Rezende, diretor de Incorporação da Porte Engenharia e Urbanismo.

História
Rigorosamente, o Jardim Anália Franco não é um bairro, e sim uma parte da Vila Formosa. Tudo começou nos anos 1960, tendo como ponto de partida um loteamento pertencente a uma associação beneficente que carregava o nome da filantropa Anália Franco Bastos.

Desde então, o cenário mudou, e muito. Quando o aposentado Antônio Regina, 81, chegou à Vila Formosa, há 25 anos, o clima era de interior. O principal mercado era o municipal, ponto de encontro de uma vizinhança em que todo mundo se conhecia.